quarta-feira, 24 de abril de 2013

Lágrimas, suor e bicicletas

Domingo, manhã de sol, hora de andar de bicicleta com as meninas. Compramos as bikes há um mês atrás, depois que vendemos um dos nossos carros frente a nossa nova realidade familiar, mas só agora elas foram montadas direito e tínhamos feito a estreia oficial no sábado. Protetor solar, bolsa com água e um saco de biscoito polvilho e lá fomos nós pro Eixão (para quem não é de Brasília é uma via expressa que fica fechada para ser usada como lazer nos domingos) que fica perto de casa. Eu e Marco estávamos super empolgados com o passeio, quando a gravidez ainda era uma ideia na minha cabeça a gente adorava ver as crianças brincando e andando de bicicleta no Eixão e agora tinha chegado a nossa vez. Mas, para Maria e Isabella... não sei se a empolgação era a mesma, elas gostaram, mas a alegria era toda nossa mesmo.

Sem título
Eu e Bella no início do passeio

Resolvemos ir até o final da via e voltar. Na ida uma descida boa, ou seja, volta com subida longa. No meio do caminho, as meninas começaram a ficar irritadas. O biscoito estava no fim e o saco voou da minha mão, portanto, nada de comida para distraí-las. Paramos para dar água e continuamos. Eu e o Marco começamos a ficar com dores nas pernas (olá, pais sedentários!) e a irritação de duas meninas fofas de óculos escuros crescendo. Um chorinho aqui, outro ali. "Espera um pouquinho, já estamos chegando". "Olha, a gente vai parar ali para tomar uma água de coco". E pedala, pedala, chora, para, pedala.

Quando finalmente chegamos na barraquinha, os dois com as coxas queimando, suados e cansados, as duas começaram a chorar de verdade. Primeiro, Isabella com aquele choro alto que faz os pais querer sair correndo de vergonha. O Marco ficou sem ação e eu tentei fazer ela parar e manter a calma. Acho péssimo ignorar nesses casos ou fingir que nada está acontecendo porque se a criança está chorando é por um motivo, mesmo que seja atenção e é para isso que os pais estão ali. E eu sabia o motivo: fome. Elas não quiseram a água de coco, mas queriam pegar o coco desesperadamente. Foi o caos de criança reclamando no meio de um bando de gente. A solução: lidar com o problema e conseguir comida.

Peguei um graveto no chão e dei para a Isabella brincar e ela parou de chorar. Vi ela colocar na boca, mas nessa parte, ignorei, tá? Pelo menos não estava chorando. Aí foi a vez da Maria que estava com o Marco. Ele não pensou duas vezes e começou a se afastar da barraca e ir pra casa com a menina chorando " como loca"na cadeirinha. Oi? Eu comecei a querer brigar com ele, claro. "Dá alguma coisa pra ela se distrair. Espera aí, volta aqui". E vi que eu estava levantando a voz, então era melhor respirar e conversar com ele. Ia se a família inteira fazendo escândalo, não. Dei a chave de casa para a Maria e nada mais de choro. Ufa! Respiramos os dois, também cansados e com fome com aquela cara de: "por que que a gente foi inventar isso mesmo?".

Sem título
A outra dupla. Já viram que essa família adora uma cor, né?

Ficamos uns cinco longos minutos tentando atravessar a rua e nada. Explicamos para as duas que estávamos indo para casa e que lá ia ter comida, etc, e por incrível que pareça elas ficaram quietinhas. Resolvemos passar pela passarela subterrânea e quando a gente chegou no final do túnel: nada de rampa! Como assim? Só um fio de concreto no meio da escada. E lá fomos nós empurrar bicicleta pela escada. No caminho de casa já estava pensando nas estratégias: alguém sobe e pega uma fruta, enquanto o outro guarda as bicicletas e fica com as meninas. E no fim deu tudo certo, portanto, lições maravilhosas que a bicicleta deu pra gente até o momento:

- Nunca saia com duas bebês e apenas uma opção de comida, especialmente se uma delas for "voadora".

- Pais sedentários não deve abusar da sorte e do exercício porque energia é necessária sempre e depois do passeios, essencialmente.

- Comprar duas bicicletas foi o melhor investimento deste ano! Pense em dois pais felizes! Acho que em breve as meninas vão ter a mesma empolgação também.

- Passeio de bicicleta, por enquanto, é para nós e não para elas, por isso, vamos entender se elas estiverem sem paciência e nada de caminhos longos. Pausas para brincar no parquinho são bem-vindas!

12 comentários:

  1. Oi Tati!
    Adorei a nova aquisição de vocês.
    Aqui em casa também temos o costume de passear de bicicleta com a Alice (1 ano e quase 3 meses), meu marido usa a bicicleta como meio de transporte para ir ao trabalho (então ele está acostumado).
    Não lembro direito quantos meses ela tinha quando ele deu o primeiro passeio com ela, depois eu tmbm ganhei a minha bicicleta e passei a acompanhá-los.
    E o nosso "problema" é que ela fica com sono quando passeia! hehehe
    Aí temos que fazer passeios curtos, com paradinhas para beber água, levar algum lachinho, uma parada no parque...
    Mas é ótimo passear com a família assim!
    Falando em discutir, tmbm já tive um ataque um dia xD
    Fomos passear em um outro bairro, lá não tinha ciclovia, então era na rua mesmo. E meu marido se enfiou entre dois carros! Estilo motoqueiro ¬¬
    Aff, desci da bicicleta fui pra calçada, gritei pra ele vir, tirei ela da bicicleta e abandonei ele com as duas bicicletas! kkkk
    Depois conversamos e ele entendeu meu pânico.

    Bom, eu queria conseguir andar mais de bicicleta, até pra sair do sedentarismo...
    É ótimo! Bons passeios para vcs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa, adorei as bicicletas e o novo hábito! Daqui a pouco as meninas se acostumam, vc vai ver!!!
    Eu quero muito uma bicicleta e quero andar com a minha filha, de 2 anos e 4 meses. Quero muito! Mas moro em SP e morro de medo das ruas daqui...
    Veremos!

    beijo!

    ResponderExcluir
  3. Tati, amo seus post´s...rsrsrs vivo uma Aventura com vocês ;D
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Que lindas de óculos!!! super fashion!
    Fofas!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Boa Noite Tati,
    Fiquei extremamente apaixonada pelo seu blog e todos os dias passo aqui para ler as novas. Pode me chamar de louca, mais conheci seu blog a mais ou menos 1 mês e não dormi enquanto não li ele inteirinho, principalmente a gravidez, foi uma madrugada que valeu a pena rsrs. Bom sou mãe de uma menina de 3 anos a Gabi quando ela tinha mais ou menos 1 e 8 meses passei a ir trabalhar de bike, sou professora então a Gabi ia comigo, só que optei pela cadeira da frente, porque ela era muito pequena e fica alto sabe, ela amava. Pode ser uma sugestão, elas podem se distrair mais. Atualmente estamos de mudança de cidade e a bike esta encostada, mais nós tb adoramos. To começando um blog tb e você me inspira. Obrigada!!!Parabéns pela família. Bjokas

    ResponderExcluir
  7. tati, nunca comentei mas sempre amei a familia moderna. esse bike trip foi além da fofura na atitude e resolvi comentar. vocês são demais! força e sorte com as adaptações necessárias.
    :)
    :)

    ResponderExcluir
  8. Tati, to rindo aqui com essa aventura do 1o passeio de bicicleta. E confesso que estou rindo também porque (é claro) que me identifiquei com essa coisa dos gêmeos chorando no meio de um passeio (e meu marido sem saber o que fazer, fugindo com um deles no colo e eu indo atrás com o "volta aqui", hahahahahahaha).
    A frase que mais me identifiquei "por que que a gente foi inventar isso mesmo?"
    Um grande beijo da família daqui para a família daí.

    ResponderExcluir
  9. Putz, juro que queria comentar da empolgação de vcs!!!
    Até pq. já estamos planejando nosso retorno ao passeio de bike com as meninas. Mas sinto que me deixei levar por aquele friozinho na barriga, de só quem tem gemeos sabe, que a qualquer momento um monte de gargalhada pode se transformar em um monte de choro....hahaha...entendeu né!?!

    ResponderExcluir
  10. Bicicleta é tudo de bom, quando meu filho tinha essa idade compramos a cadeirinha que vai na frente ele gostava tanto que dormia...... aí a gente tinha que voltar pra casa segurando a cabeça dele, era muito engraçado, agora que ele vai fazer 6 aninhos já anda na propria bicicleta.... quando os gêmeos (ou gêmeas) chegarem vamos ver como será!!!!!!
    Suas meninas são lindas!!!

    ResponderExcluir
  11. Antes de 1 aninho, nós já andávamos de bike com os gêmeos, eles simplesmente amam, o único problema é que eles dormem, aí é um sufoco voltar para casa ainda mais se estamos longe, quando a gente abre o portão eles abrem o maior sorriso, quando pegamos a bike, eles até gritam, é um sarro.
    Não desista não é muito gostoso.
    Elas são fofas demais.

    ResponderExcluir
  12. kkkkkkkkkkkkkkkk, me estrago de rir, lembrei muitooooo do nosso primeiro passeio de bike, que tb foi frustrante mas nos ensinou muito.
    Já vou logo te dando a dica do que nos ajudou suuuuper, cestinha de bicicleta, aquelas de colocar na frente, em uma levamos brinquedos de parque e a outra vai cheia de lanchinho, de biscoito, a fruta, a iogurte e claro águaaaaa, vai por mim, depois da bicicleta as cestinhas serão o segundo melhor investimento =D
    Os dois aqui acordam, comem e fá vão buscar o all star para ir andar de bicicleta, param na porta e ficam esperando, kkkk, é lindo de ver.
    Logo elas tb vão curtir assim e vcs estarão treinados para pedalar com mais confiança, agora um adendo, eu ainda volto morrendo dos passeios, a pessoa passa longe de ser atlética, kkkkk
    Ahhhhh, sabes me dizer se a Liliane Teisson já recebeu os livros que enviei? Não estou encontrando o código de rastreio para verificar. Procurei ela pelos blogs e no face e não a encontrei, estou curiosa para saber se ela recebeu...
    Beijos

    ResponderExcluir