quinta-feira, 18 de julho de 2013

As vantagens de ter gêmeos

Sim, elas existem e ainda no plural, minha gente! Não é só o tal "nossa, que trabalho, hein?", noites sem dormir, cansaço sem fim, etc, etc, etc,. Existe um lado L, lindoooo, de ter gêmeos e não é só a questão do "amor dobrado". Eu confesso que no início, quando as meninas eram pequenas, não consegui enxergar isso, e pensava "Meu Deus, com um bebê só seria muito mais fácil", pensei mesmo e confesso aqui. Mas hoje eu vejo tudo diferente, eu vejo MUITA coisa boa em ter dois bebês aos mesmo tempo. Tanta coisa que eu aprendi ao longo do caminho e resolvi compartilhar com os futuros pais de gêmeos ou pais de dois filhos de idades diferentes aqui, então vamos lá:

IMG_5518
Bella e Maria

Praticidade
Eu acho que me tornei uma mãe muito mais prática e descolada porque tenho dois. Não estou dizendo que mãe de um bebê só não seja prática ou que toda mãe de gêmeos seja, é só um depoimento do que aconteceu comigo. Mas o fato de ter dois me fez pensar mais rápido e estrategicamente. Acorda, troca, dá mamá, faz arrotar, brinca, tal hora dá banho, coloca pra dormir, descansa e repete tudo de novo, em dose dupla, é claro. Você aprende a ter sempre um plano na cabeça sobre o que fazer. E também saber se aquilo não está dando certo, saber mudar de direção.

Rotina é bom, bebê gosta e mamãe agradece e faz parte do caminho da praticidade. Como eu cuido das duas sozinhas, carrinho duplo virou meu melhor amigo, elas aprenderam a ficar no berço brincando e até hoje quando acordam ficam de preguicinha na cama com os brinquedos enquanto eu tomo café e vou adiantando o almoço.

Para não deixar de sair e fazer nossos passeios, sempre levei apenas o necessário e tudo o que coubesse dentro de uma única bolsa grande para as duas. Fralda, roupa e comida. E aí a gente ia se virando.

Insistência
É basicamente o seguinte: com dois, tem que dar certo. Eu tenho uma teoria de que a gente consegue fazer com que a criança de adapte a qualquer rotina ou situação com um pouco de esforço, trabalho e insistência (já falei sobre isso aqui). O problema é que dá trabalho mesmo e muita gente desiste no caminho. Mas eu tento sempre colocar um objetivo e seguir em frente. Seja de ensinar as duas a comerem sozinhas ou dormirem no berço. Se dá trabalho, é porque o resultado vai valer a pena.

Eu tenho uma amiga que me falou uma vez que eu tinha uma vantagem na hora de ensinar ou educar porque dava certo com uma pelo menos, então eu não desistia. E eu nunca tinha pensado nisso, eu simplesmente fazia. Mas eu sempre tentei fazer tudo dar certo pras duas. Tá na hora de comer: todo mundo senta na mesa ou no cadeirão juntas.

"Por que elas ficam tão quietinhas no carrinho?" Já me perguntaram muitas vezes. Porque eu nunca tive a opção de tirar uma que estivesse chorando, pegar no colo e empurrar a outra. Também confesso que não achava justo, então as duas aprenderam a ficar no carrinho. Como? Dava brinquedo, comida, chave, folha, qualquer objeto que distraísse as duas (menos celular que é proibido aqui, mas já foi usado duas vezes em momentos de puro desespero). E elas iam ficando. Ou ia parando a cada 100 metros para consolar e achar outra coisa para elas brincarem.

Eu usei as armas que eu tinha e adaptei tudo a minha realidade, que é como eu acho que toda mãe acaba fazendo.

Foco
Acho que quando a gente tem duas bebês não fica com o foco só em uma coisa, em uma birra, em uma crise. A vida continua, o outro pede atenção, as coisas precisam continuam a funcionar. E isso é bom, porque eu acho que quando a gente não deve focar muito num problema e a criança precisa aprender que o mundo não gira em torno dela. Duro, porém verdade.

Companherismo
Sim, elas fazem companhia uma outra! Elas brincam juntas, ficam juntas, conversam na língua de bebê delas. É lindo. Por isso, também não me importo em deixar as duas brincando no berço sozinhas enquanto eu vou tomar café, por exemplo. Ou, elas brincam na sala, enquanto eu preparo o almoço.

Sem falar que não tem coisa mais linda do que ver essa ligação infinita que as duas têm, uma conexão que talvez eu nunca vá conseguir entender. Desde cedo elas aprenderam a dividir e ainda que, às vezes, brigam pelo mesmo brinquedo ou minha atenção, sabem que vão sempre ter uma a outra. É engraçado que quando uma acorda antes da outra da soneca (casos raros, devo dizer, mas acontece), depois de uns dez minutos, ela corre lá no quarto para acordar a irmã.

Tem pra todo mundo
Sim, tem amor pra todo mundo! Acho que neste aspecto foi super importante pro Marco também que "tinha" que segurar ou cuidar de uma, enquanto eu amamentava a outra, porque ele teve a chance de ser pai cuidador, de colocar a mão na massa mesmo, até hoje.

E tem sempre as fases. Em uma semana Maria só quer colo, na outra é a Bella. Tem uma que abraça mais forte, a outra gosta de fazer carinho no braço enquanto coloca a cabecinha no ombro. Tão iguais e tão diferentes. Cada uma com sua personalidade, seus trejeitos. E
como é bom descobrir cada faceta das meninas. Eu acho que cada filho é de um jeito sim, no entanto aqui a educação e o amor são os mesmos, e as surpresas no caminho não param de chegar.

*Estou reformulando o blog, por isso aguarde mais novidades em breve!

23 comentários:

  1. Acompanho você e as meninas desde quando elas nem tinham nascido e que lindo ver o crescimento delas e que bom que você escreve super bem para poder falar estas coisas para a gente. Meu namorado fala que eu sou doida. Nem conheço vocês pessoalmente, mas para mim é como se você estivesse ali, do outro lado da rua. Esta internet junta mesmo as pessoas. E isso é ótimo. Tenho notado que você está fazendo muito mistério Tati. Acho que você vai ser mãe de 3 logo, logo ! =). Continuo por aqui. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é, Bel? Que bom que a internet pode ligar pessoas aqui e gosto muito de saber do carinho que você tem pela gente. Quem sabe uma dia a gente não se encontra? :) Será que vou ser mãe de 3 logo? Será? Será? huahuahuahua
      Obrigada por tudo! Beijos

      Excluir
    2. Pois é, estava querendo muito dar uma passadinha em Brasília. Quem sabe não marcamos ? Viu, não disse que eram 3 ? Eu sou quase uma vidente ! Parabéns ! Muita saúde para este novo bebê !

      Excluir
  2. Adorei o post! Acho que você tem muito a ensinar às mães de um só que vivem reclamando que não conseguem dar conta de tudo (olha só... a carapuça serviu em mim mesma! vê se pode!).
    Minha mãe teve gêmeos, quando eu tinha menos de dois anos, e praticamente cuidou de três bebês ao mesmo tempo. Diz ela que até o nariz era usado para acender o interruptor. Sempre penso nisso antes de reclamar da vida.
    Posso dar uma sugestão? Conte como você faz para por as duas para dormir ao mesmo tempo! Este é o dilema do momento lá em casa.
    Beijos e continue compartilhando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal, Dani! Se sua mãe pode, todas podemos! Eu tenho lutado para tentar entreter as duas em casa, mas a gente se vira. No final, é bem isso, a gente se vira.

      Vou fazer o post de dormir! Acho que tem uns aqui no blog. Dormir ao mesmo tempo é lei por aqui e acostumei elas desde sempre, acho que isso ajudou. Mas sei que vamos passar por outro processo quando elas forem pra caminha. Veremos.

      Beijos

      Excluir
  3. Oi Tati! Tem pouco tempo que eu conheci seu blog, mas já estou fuçando tudo :) Estou adorando! Suas filhas são umas lindas! Parabéns :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Thalita!!! Passe sempre aqui. Bjos

      Excluir
  4. Olá, Tati!
    Eu sou a Rita, uma (quase) grávida que sempre sonhou desde criança em ter gêmeos. Agora que é pra valer, que comecei a tentar engravidar, comecei a pensar que ter gêmeos é tão difícil, melhor não. Li seu texto e adorei. Que venha, seja 1 ou 2!
    Parabéns pelas suas lindas filhotas!
    Rita
    http://melancianabarriga.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Tati! Acompanho o seu blog há algum tempo... e amo todos os seus posts!!! Meu sonho é ter gêmeos tbm!!! Que venha o dobro de trabalho, mas o amor dobrado compensa tudo!!! Hehehe.
    As meninas estão cada dia mais lindas!!! Bjos.

    ResponderExcluir
  6. Como é bom seguir sua trajetória e concluir: vou sobreviver, vai valer a pena!! Morri de rir com esse post, parece q vc tá falando da minha vida!

    ResponderExcluir
  7. Adorei o seu blog! Tenho 17 anos e estou gravida de gemeos :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eba! Parabéns! Uma grande e maravilhosa aventura te espera! Que bom que você gostou do blog. Beijos

      Excluir
  8. Oi Tati, eu e minha mulher, teremos um casal, e as vezes to super feliz, as vezes vem o medo.
    As vez minha mulher tá irritada com o barrigao, irritada com tudo.
    Eu tenho 30 e ela 26. esse outubro já esta diferente nos andávamos de bike no fim de tarde, agora não da mais.
    Algumas coisas na nossa vida não voltarão?
    Ou depois de um ano as vezes da pra deixar com a vovó e vovô e a gente fazer o que fazia passeios, caminhadas etc.
    Estamos muito felizes mas da medo.
    Será Bento Romero ( meu pai chama Bento) e Laura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que nomes mais lindos pros dois! Adorei.
      Então, meu amigo, a sua vida vai mudar e vocês vão ter que abrir mão de muita coisa, deixar de fazer muita coisa e, nossa, como vai vale a pena!
      Eu fiquei pensando nessa sua pergunta: "Algumas coisas na nossa vida não voltarão?" Não, não voltarão. E sabe de uma coisa? Você não vai sentir falta delas. Eu mesmo não consegui lembrar de nenhuma agora.

      Acho que cada família também é de um jeito. Eu só consegui deixar as meninas com os avós, depois de um ano. Antes, era só pra fazer alguma coisa urgente ou ir no médico, por exemplo. Mas, agora, conseguimos fazer algumas coisas, mas não é tão comum também.

      Meu conselho é aproveitem bastante o momento você dois agora na gravidez, mas não com desespero. Eu e o meu marido tentamos ir mais em restaurantes. por exemplo, ainda que no fim da gravidez não desse muito. Mas lembro até que dois dias antes das meninas nascerem saímos pra jantar. E invista num cinema! A gente não vai num cinema há muito tempo, fomos no mês passado, mas pra ver o documentário Renascimento do Parto, então não conta ;)

      Mas dava pra virar um post essa resposta!

      Excluir
  9. Eu Serei Papai, e quero saber tudo sobre gemios...

    ResponderExcluir
  10. Ser mae de gemeos deve ser muito bim mesmo, pois e a unica oportunidade de voce tem de poder educar seus filhos oferencendo-lhes o mesmo amor, as mesmas oportunidades na vida, voce cria os dois da mesma forma, ou seja, uma forma mais justa, quem nao tem gemeos nao tem esta oportunidade .

    ResponderExcluir
  11. Quero tanto ter trigêmeos ou gêmeos!!!! Acho tão lindo... Ana.

    ResponderExcluir
  12. O que eu acho mais lindo em gêmeos é o companheirismo... Deve ser inesplicavel o que a mãe sente em ver eles brincando, aprendendo e descobrindo novas coisas juntos. Ainda não sou mãe, mas quando eu for , meu sonho é ter gêmeos.

    ResponderExcluir
  13. ola gostei muito do seu post eu tbm tenho gêmeas duas meninas e o que vc descreveu no seu dia dia com elas é bem parecido do que passo tbm com minhas princesas, pra mim uma parte que meio complicada na questão da educação na hora que ter que disciplinar as duas ao mesmo tempo muitas vezes pra mim não da certo fico procurando maneiras corretas de poder corrigir elas educar e não desistir no meio do caminho pois Elas são muito persistentes no fazem :)

    ResponderExcluir
  14. você descreveu muito bem a vida de mãe de gêmeos, inclusive eu mesma uso várias expressões e atitudes que descreveu. olha, ser mãe é uma dádiva, é uma bênção de Deus. eu tenho 4 filhos. amo mmmmuito todos. duas meninas e dois meninos, sendo os meninos gêmeos. Nara

    ResponderExcluir
  15. Adorei o texto!!! Perfeito! Aqui em casa é exatamente desse jeitinho com minhas trigêmas de 9 meses..Vc traduziu tudo oq penso e passo com elas.

    ResponderExcluir
  16. Oi estou gravida de três meses de gêmeos. Confesso estar assustada, por talvez não dar conta de cuidar dos meus bbs. Mais tô feliz e não me imagino mais mãe só de um. Sou mãe gemelar. De múltiplos. Às vezes me sinto especial por isso. Mais também me sinto desprotegida. Não sei o que dizer. É tudo ao mesmo tempo. ��

    ResponderExcluir